«

»

Out 24

Eclipse solar híbrido de Novembro de 2013

2013-11-03

No dia 3 de Novembro de 2013 irá ocorrer um tipo raro de eclipse solar que é o eclipse híbrido. Quando a umbra e a sombra ante-umbral cruza a Terra, isto é, o eclipse híbrido aparece como solar total e anular em diferentes secções do seu caminho. A dualidade surge quando o ápice (apex) do cone da umbra atinge a superfície terrestre durante um determinado período do tempo, havendo períodos temporais onde não a atinge levando ao caso do eclipse anular (neste último caso, o diâmetro aparente do Sol é maior do que o da Lua, vendo-se então um anel do Sol em torno da Lua). Esta situação invulgar relaciona-se com o achatamento da Terra (que é, na verdade, mais próxima de um esferóide, estando bem distante da imagem de uma esfera perfeita). Este eclipse é ainda mais único e muito raro no sentido que se iniciará como ANULAR e terminará como TOTAL. De salientar que tipicamente, o caminho central de eclipses híbridos constrói um “corredor” muito estreito pois ocorre próximo do vértice (vertex) do cone da umbra lunar (tal como se pode ver na imagem supracitada).

Os eclipses híbridos também são conhecidos como eclipses anular-totais. Num período de cinco mil anos, de 2000 BCE (Before the Common Era) a 3000 CE (Current Era) a Terra terá sido palco de 11 898 eclipses do Sol, sendo 569 eclipses híbridos, ou seja, cerca de 4,8% de todos os eclipses solares nesse período [Espenak, Meeus, 2009].

Há três situações possíveis que um dado eclipse solar híbrido pode ter, a saber:
1) quando o eclipse inicia como sendo anular, e depois muda para total, invertendo na fase final para anular. É um caso de eclipse de classe 1;
2) quando o eclipse inicia como total e termina como anular. É um caso de eclipse de classe 2;
3) quando o eclipse tem a situação inversa do caso 2. É um caso de eclipse de classe 3. É o presente caso deste eclipse;

No caso 1) há 519 eclipses híbridos entre os 569, o que torna o caso mais comum.
Os dois últimos casos são extremamente raros e contabilizam apenas 24 casos para o 2) e 26 casos para o caso 3).
O caso 1 ilustra uma situação de eclipse simétrico, ao passo que os outros dois casos são exemplos de eclipses assimétricos [Espenak, Meeus, 2009].

Este eclipse será visível em território africano equatorial, cujo corredor central (ou seja, correspondente a 100% ou pouco mais de ocultação da Lua ao Sol – nesse corredor ocorrerá o ECLIPSE SOLAR TOTAL) passará por Gabão, Congo, República Democrática do Congo, Uganda (parte Norte), Quénia (idem), terminando na Etiópia na parte Este já próximo da fronteira com a Somália.
A previsão meteorológica pode ser seguida nesta hiperligação.

Para Portugal Continental pouco antes das onze e meia (até pouco depois da uma hora da tarde), hora local, terá entre, grosso modo, 18% (a Sul do país) a 8% (a Norte do país) do Sol oculto pela Lua, ou seja, um eclipse parcial do Sol.
Toda a parte Nordeste do Brasil será alvo também de um eclipse parcial chegando quase aos 40% entre as 11 horas 30 min (hora UT, e não hora local!) e as 12 h 00 min (idem), sendo o limite inferior (onde não há qualquer eclipse parcial nem tão pouco o total que só ocorre no corredor central ilustrado a azul na primeira figura) respeitante a Norte de Rondônia, na parte quase central de Mato Grosso, Goiás e parte Norte de Minas Gerais, e a do Espírito Santo. A diferença de UT e hora local vai das 4 horas antes de UT (Amazonas) a 2 horas antes nas partes mais a Este do Brasil.  Entre o limite superior do Brasil e este limite inferior ter-se-á ocultações variáveis de valor superior a 1% a quase 40% (neste último caso já quase com meio Sol oculto pela Lua – mesmo assim não será fácil apreciar a diminuição de luminosidade).

De referir que tanto no caso de Portugal como no de Brasil a maioria das pessoas não vai notar qualquer alteração de maior na luminosidade. De qualquer das formas, no Brasil, a ocorrência do eclipse será durante a madrugada. A única forma de se aperceber da alteração – ou seja, ver parte do Sol oculto –  é usar uns óculos especiais PREPARADOS PARA O EFEITO e que qualquer farmácia de serviço terá possivelmente à venda – tudo dependerá da preocupação das autoridades de cada país. Aviso que NÃO DEVEM, em circunstância alguma, usar CDs, DVDs, mylar, e muito menos radiografias mesmo as que não foram usadas. É extremamente perigoso e o autor não se responsabiliza por quaisquer problemas que tenham surgido por não respeitam as elementares regras de segurança (se houver dúvidas, consultem a lista abaixo deste post que criei para o efeito e PERGUNTEM, por dúvidas, no “feedback” ou aqui no blog ou no facebook do astropt). 

 

Manual de segurança da observação do eclipse solar parcial

NOTA IMPORTANTE: Em circunstância alguma, NUNCA aponte binóculo e telescópio sem filtro apropriado para o Sol, sob grave perigo de ficar irreversivelmente com cegueira absoluta. Para sua própria segurança LEIA TODAS as regras abaixo indicadas.

O autor não se responsabiliza por quaisquer problemas que advenham da má utilização das regras deste manual.

1ª regra: NUNCA observar sem óculos de protecção especial.

2ª regra: NUNCA usar óculos escuros, vidros negros de fumo, películas para fotografias a cores, negativos de fotografias, radiografias, disquetes, CDs, DVDs, filtros de gelatina, polaróides, filtros Wratten, folhas de alumínio em quaisquer ocasiões e circunstâncias na observação do Sol. Evite os filtros Mylar. Não é recomendável o uso de quaisquer filtros de soldador, mesmo o de #14.

3ª regra: NUNCA usar os óculos especiais de protecção ocular* combinados com binóculos, câmaras fotográficas, telescópios ou outros instrumentos ópticos. Os óculos especiais com a norma europeia supracitada apenas SÓ devem ser usados para observação ocular directa. E deve-se fazer intervalos frequentes para descanso a fim de o olho não aquecer demasiado.

4ª regra: NUNCA utilizar os filtros solares** para serem colocados na ocular do instrumento óptico, ou seja, a lente onde se encosta o olho para ver.

5ª regra: NUNCA fazer uso de óculos especiais de protecção ocular que já tenham sido utilizados ou que estejam guardados, porque podem ter microfuros, arranhões ou imperfeições que deixem passar mais radiação do que a permitida. Lembre-se que a queimadura do olho é indolor e o perigo é demasiado para arriscar com óculos especiais de protecção ocular pouco fiáveis seja de onde for a sua origem (o mesmo para os filtros solares). Importante testar a segurança do óculo especial de protecção ocular olhando com eles colocados para uma fonte de luz bem forte em casa e procurar por falhas, imperfeições no filtro do óculo.

6ª regra: NUNCA exceder observação contínua com óculo de protecção especial por períodos de mais 30 segundos, fazendo sempre intervalos de 3 minutos de descanso. Evita-se, desta forma, a acumulação de calor na retina. IMPORTANTE lembrar que o aquecimento da retina não é sentido por nós como sentimos o aquecimento da pele, UMA VEZ que a queimadura da retina, derivado do aquecimento desta, é INDOLOR! Se prolongar demasiado a observação, a retina começa a aquecer e não nos apercebemos desse aquecimento, podendo ocorrer lesões irreversíveis – a cegueira parcial ou total. Além disso evita-se que o filtro aqueça em demasia, reduzindo assim a possibilidade de deteriorar o óculo de protecção especial.

* Os óculos especiais de protecção ocular são vendidos nas farmácias, e devem ter marca CE obrigatória, que cumprem a Norma Europeia EN 169/1992 e a Directiva Europeia CEE 89/686), ou então no caso de estar nalgum país africano desloque-se a uma farmácia e peça por óculos reconhecidos pela autoridade de Saúde do país.

No caso do Brasil, desloquem-se às farmácias COMPETENTES para tal efeito OU a lojas de Astronomia reconhecidas!

** Os filtros solares para binóculos e telescópios devem ser comprados em lojas especializadas de Astronomia (tanto em Portugal como no Brasil).

 

Referências:

Espenak, F.; Meeus, J. 2009. Five Millenium Catalog of Solar Eclipses: -1999 to +3000 (2000 BCE to 3000 CE) – Revised. NASA/TP-2009-214174. Goddard Space Flight Center. Greenbelt, Maryland 20771. pp. 17-36

Acerca do autor(a)

Jorge Almeida

Jorge Mota Almeida é astrónomo amador desde 2000. Possui um dobson de 8” e um PST (telescópio solar).

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores – Telecomunicações pela Universidade de Coimbra. https://coimbra.academia.edu/JorgeAlmeida.

Licenciatura em Biologia/Geologia.

Leccionou em várias escolas secundárias.

Formação em Entomologia Forense e Aracnologia.

Foi colaborador de gabinete médico-legal.

Fascinado por eclipses, dípteros e com vista ao Mirovedenie – estudo do Universo.

Fanático de macrofotografia que pode ser apreciada em Superegnum.

20 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Xevious

    Um Eclipse bem no dia do meu aniversário
    E ainda por cima um raro

    que legal

    Obrigado papai do céu :)

    1. Carlos Oliveira

      Isto ainda é só uma hipótese ;)

      Mas sim, uma ideia similar ao éter numa forma ou outra será ressuscitado… mas é muito diferente da teoria do éter em muita coisa ;) . Nós vemos semelhanças só olhando para os traços gerais ;)

  2. dudu

    vai dar pra ver do ceara?

    1. Jorge Almeida

      Sim, a partir das 7 h 46 min HORAL LOCAL terminando por volta das 9 h 57 min . ATENÇÃO: É fundamental ler a última parte do artigo onde estão as regras de SEGURANÇA para nada acontecer à sua vista!

  3. bella

    poxa :( não tem farmácia na cidade onde moro e a que tem é longe e esses óculos devem ser caros afinal quanto custa os óculos? me responda logo antes do sábado por favor

  4. Jorge Almeida

    Normalmente estes óculos de Sol para o eclipse (não são os polarizados) são muito baratos. É estranho uma cidade não ter farmácia… Outra alternativa é tentar saber se existe alguma associação de astrónomos amadores locais na sua cidade! Eles terão certamente o material apropriado para observar o Sol em segurança.
    Outra forma é fazer uso de observação indirecta – 100% segura :
    https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0CC0QFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.eclipse.aaq.org.au%2Findex.php%2Fclassroom-activities%2Fsafe-viewing-activities%3Fdownload%3D44%3Aactivity-11-indirectly-view-the-sun-using-telescope-or-binoculars&ei=Fwp0UuK0KcvW7Qbds4CoAw&usg=AFQjCNFLZkwNNMtZ2_kejMRhkSfuQjNpfA&sig2=G78hf0Joe_wqRkS-g7JaPw&bvm=bv.55819444,d.ZGU
    Mas para fazer isto, convinha tentar saber se existe alguma comunidade de astrónomos amadores por perto pois eles já devem ter experiência para observação de eclipses. Não olhe para o Sol se não tiver a protecção adequada! Caso contrário, esse método de projecção permite ver o sol a ser oculto parcialmente pela Lua – mas só veria o fenómeno na
    cartolina branca como pode ser visto na imagem.

  5. Jorge Almeida

    “DO NOT LOOK THROUGH THE EYEPIECE TO FIND THE SUN!!!!” é uma regra FUNDAMENTAL. Por isso , esse procedimento de projecção do Sol na cartolina convém ser feito por quem já tem alguma experiência para o fazer. Sugiro que vá ao facebook do astropt e lá diga a sua cidade para saber se há astrónomos amadores na sua cidade ou perto dela, que a possam ajudar a observar o eclipse em segurança para a sua vista!

  6. Milena

    vai dar pra ver no sul do brasil?

    1. Jorge Almeida

      Não, no Sul do Brasil não vai ser possível ver o eclipse, nem sequer o eclipse parcial. Veja a primeira figura deste post. A linha a verde a grosso marca o limite do eclipse parcial. A sul dessa linha não haverá qualquer eclipse do Sol. E a sul dessa linha respeita ao Sul do Brasil.

  7. Rogério Pires

    Os eclipses alteram o comportamento de alguns animais. Passa-se o mesmo com os insectos?

    1. Jorge Almeida

      Sim, Rogério. Notar que os insectos são animais. Insecta é ordem dos insectos, Animalia é o reino dos animais entre os quais insectos, mamíferos, entre tantos outros, fazem parte.

      Notar que esta alteração de comportamento é apenas notória no eclipse anular e total. No parcial, não haverá grande alteração do comportamento dos animais, sejam insectos, mamíferos ou outros.

      No total, também há alteração de comportamento dos insectos. Por exemplo, com formigas.

  8. capoeira

    vai dar pra ver em são paulo

    1. Jorge Almeida

      Não, não dará em São Paulo. Isso até pode ser visto na primeira imagem deste “post” onde a linha verde a grosso que marca o limite do eclipse está a Norte de São Paulo. Nem em Curitiba, por exemplo, não haverá eclipse.

  9. Marcelo

    Mano aki em Pernambuco nao apreceu ainda nada quer dizer q nao vai dar apra ver daki nao é ???

    1. Jorge Almeida

      É vi´sivel em Pernambuco e temrina às 10 horas locais. 20% será muito pouco perceptível. A quebra de luminosidade não será também notória – aliás é quase como se não houvesse eclipse.

  10. andreia

    Na Paraiba dar pra ver??

    1. Jorge Almeida

      Esta mensagem já foi enviada tarde demais olhando para a hora UTC… quando no Brasil o eclipse já tinha decorrido…

  11. jeferson

    vai aparecer no rio de janeiro ??

  12. Jorge Almeida

    Não. De qualquer das formas, a hora à qual fez a pergunta já teria decorrido o eclipse parcial na parte Norte do Brasil.

  1. É já neste domingo o eclipse solar…

    […] total no Oceano Atlântico e por terras africanas. Para informações gerais do eclipse leiam este artigo, e, em especial, a parte final do mesmo sobre SEGURANÇA de observação do eclipse. Em Portugal e […]

  2. Vai começar a transmissão em direto do Eclipse

    […] (cliquem play no vídeo em baixo): Como sabem, podem ler tudo sobre este eclipse híbrido, neste post, e também já sabem que podem assistir ao vivo ao eclipse parcial no Porto, em Lisboa e em […]

  3. Imagens fabulosas do recente eclipse

    […] sabem, tivemos recentemente um eclipse solar. Das fotos que foram feitas deste eclipse, deixo-vos as duas fotografias mais espectaculares: foram […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>